Jira para equipes Scrum: dicas práticas

18/12/2019
Letícia Rezende
Letícia Rezende
Product Manager

Alguém em busca de uma forma de fazer a diferença no mundo e apaixonada por gente que pensa fora da caixa.

Está sem tempo para ler? Aperte o play para escutar o artigo.

Em um post anterior, escrevi sobre a utilização do Trello na aplicação do Scrum. Eis que hoje venho trazer outra ferramenta um pouco mais “potente”, o Jira (software)! Essa é a que utilizo hoje e confesso que a cada dia que passa descubro a possibilidade de aplicar algo novo nela. #lovejira

Principais vantagens do Jira

Diferente do Trello, o Jira tem funcionalidades pensadas exatamente para as necessidades da aplicação do Scrum, não é uma ferramenta gratuita (mas tem um precinho justo pelo que entrega) e é altamente personalizável, sendo útil para projetos de pequeno, médio e grande porte. 

O Jira tem alguns outros produtos que vão além do Jira Software, mas não se confunda, estamos falando aqui do que é próprio para gestão de projetos ágeis e mais especificamente ainda, da versão cloud

Sendo uma ferramenta paga, o Jira te permite um teste de 7 dias (sem necessidade de cartão de crédito) para você explorar e entender a razão desta ser uma das ferramentas mais utilizadas no mundo para gestão ágil.

Vamos às funcionalidades

Logando pela primeira vez na plataforma você já dá de cara com os templates de quadros. Esses modelos vão configurar pra você a plataforma de um jeito a englobar todas as necessidades padrões da metodologia escolhida, incluindo todos os artefatos e otimizando alguns dos eventos.

Escolhendo o Scrum você irá para a próxima página na qual criará o seu projeto e é aí que a mágica realmente começa!

A plataforma começa como uma folha em branco na qual você encontra a funcionalidade perfeita para gerenciar seu backlog, utilizando os issues de Story, Task e Bugs para começar a detalhar e priorizar seu backlog de produto (mais pra frente falaremos sobre a possibilidade de personalizar e criar outros tipos de issue).

tela de login do jira

Lembrando que não é só a possibilidade de escrever o título da sua user story, mas também de fato escrevê-la no formato detalhado e colocar todos os links necessários na parte de descrição que fica disponível pra você. 

Além de descrever a story, aqui ficam outras funcionalidades legais. Algumas das principais sendo: os story points (que ao iniciar um sprint serão somados e utilizados para gerar inúmeros relatórios), a de definir visualmente a prioridade das storys e a de criar subtasks dentro da story (muito útil para que o time de desenvolvimento detalhe o Backlog da Sprint).

Com o backlog detalhado e priorizado, vamos às sprints. Na plataforma você conseguirá definir exatamente quando começa e termina sua sprint e quais elementos serão esperados dentro dela. Além de definir o objetivo da sprint e ver claramente quantos story points são esperados para esse período.

imagem do backlog

Iniciou-se o sprint, agora temos acesso ao board, que fica na página “Active Sprint”. Ahh, o board <3.

Aqui, o time vai constantemente visualizando seu progresso, quem está trabalhando em qual task e quanto já foi finalizado durante o sprint. Na minha opinião é aqui que você vai tendo aquele gostinho de progresso diário, sem falar que otimiza a comunicação e a transparência no time.

exemplos de sprint no jira

Para os interessados em dados como eu, o Jira também ajuda e muito, afinal existe uma página de Reports. Nessa página você encontra inúmeras informações úteis para trabalhar e entender a produtividade do time. Facilitando que na retrospectiva vocês possam falar sobre o assunto. Os que eu mais utilizo hoje são o Burndown chart, o sprint report e o velocity chart. 

reports do jira

Indo um pouco mais além, existem outras funcionalidades que vale falarmos. 

As pages, que são perfeitas para documentar decisões e eventos do seu projeto, sendo útil para versionar as Definitions of Done, documentar os flows, as telas, as retrospectivas e aqui também temos modelos disponibilizados pelo próprio Jira que podem te ajudar.

Também é possível criar mais de um board dentro do mesmo projeto (e escolher metodologias diferentes para cada um deles). Essa opção é bem útil para quem trabalha com múltiplos times para um mesmo produto, ou mesmo com times de discovery e delivery separados, que é o meu caso, visto que conseguimos organizar separadamente as atividades e progresso, mas ainda sim temos transparência entre os times.

Por fim, as integrações e automações são inúmeras. Dá pra integrar com Git, Slack, Google Drive, dentre outras e automatizar fluxos internamente e externamente de vários jeitos diferentes.

Um preview de caso prático

Se quiser ver o Jira em uso e como é a plataforma na prática, dá só uma espiada em como é um projeto real dividido em board de delivery e board de discovery:

board no jira

exemplo de board

O importante é deixar claro que o que eu trouxe para vocês acima é apenas a ponta do Iceberg, o Jira como uma folha em branco, em seu primeiro uso, mas ele pode se alterar bastante de acordo com o que você e seu time quiserem. 

Afinal, o Jira é uma ferramenta incrível que te permite usar da criatividade para personalizar e criar a plataforma perfeita para você! 

blog da zup

Ficou curioso para saber mais sobre como usamos o board de discovery e delivery? O detalhamento dessas personalizações e como trabalhamos no dia a dia, fica para um próximo texto. Você pode deixar nos comentários sua sugestão de tema!

**Atenção! No nosso caso, o produto é interno (para a própria Zup), por isso não existe nenhum problema de compliance em mostrar para vocês um pouco do nosso board, o que nunca aconteceria se estivéssemos falando de um projeto para cliente ou algum projeto interno sigiloso.


O que você achou deste conteúdo?
Quer receber nossos conteúdos?
Seu cadastro foi efetuado com sucesso! Enviaremos as novidades no seu email.
Oops! Something went wrong while submitting the form.