Agilidade na prática: como criar equipes eficientes

No items found.
18/6/2020
Vagner Araujo
Vagner Araujo
Squad Leader

Apenas um mineiro tentando entender o mecanismo de um relógio fechado.

Está sem tempo para ler? Aperte o play para escutar o artigo.

Aprenda a medir a eficiência e o valor que sua equipe gera.

Recentemente fui convidado para falar sobre o tema agilidade na prática para times. Nesse bate-papo surgiram muitas dúvidas sobre o assunto e sobre minha abordagem em transformar times medianos em times de alta eficiência, então optei por criar um conteúdo sobre um dos assuntos discutidos: métricas.

Bora lá?

“Se você não pode medir, você não pode gerenciar
Peter Drucker


Essa frase é uma das citações mais famosas do considerado pai da administração moderna, e quero te convidar para entender um pouco mais sobre a importância das métricas no gerenciamento.

Tudo começa pelas métricas

Vejo que muitas empresas lideram suas equipes de desenvolvimento no modo “deixa a vida me levar”. Talvez eles tenham alguma bola de cristal que os ajudam a identificar pontos positivos ou negativos de acordo com as mudanças que acontecem em suas equipes, ou estão andando sem rumo.

Ser ágil é fazer mudanças constantemente e validá-las. É ter um mindset de experimentação, que implica em levantar uma hipótese e validar a resposta dessa hipótese. A única forma para descobrir isso é metrificar.

Primeiro, antes de fazer qualquer mudança em sua equipe, é importante entender o tamanho do problema. É preciso medir o cenário atual.

Quais métricas devo utilizar?

Lead time

O lead time é uma das métricas mais importantes, pois conseguimos obter o período médio entre o início de uma atividade, produtiva ou não, e o seu término.

lead time
Lead Time | Wait Time | Touch time

Na imagem acima podemos ver que a equipe demora, em média, 39 dias para concluir uma tarefa.

Deste total, 79% do tempo é wait time, que corresponde o gargalo no fluxo. São as colunas que ninguém está atuando, como aguardando code review ou aguardando teste.

Os 21% representa o touch time, que é a eficiência do fluxo, que no caso são colunas que há alguém atuando, como as colunas em teste ou em desenvolvimento, por exemplo.

Você deve estar pensando agora que 39 dias é muita coisa e que apenas 21% de eficiência é bem baixo (seu pensamento está certo).

Pode estar pensando também que sua equipe demora bem menos que isso e que a eficiência do seu time deve ser bem maior. Será?

Já parou para pensar quanto tempo seu cliente demora para homologar uma feature? Já parou para pensar quanto tempo sua equipe demora para reagir (reaction time) a uma nova tarefa? E por quanto tempo suas tarefas ficam nas colunas aguardando, esperando, homologando alguma coisa? Pense nisso!

Valor vs falhas

Eu chamo a segunda métrica de valor vs falhas.

Basicamente é quanto de esforço total o seu time dedica para gerar valor (tarefas) ou atuar em retrabalho(bugs). O objetivo é sempre dedicar maior esforço a criar valor para o cliente final e diminuir ao máximo os bugs. Antes de realizar qualquer mudança, você precisa medir seu cenário atual.

Valor vs Falhas

Digamos que determinada equipe tenha um total de 100 horas trabalhadas na semana, pegando como exemplo o cenário acima, onde 51% deste tempo corresponde ao tempo dedicado para corrigir bugs, e 49% do tempo corresponde ao tempo dedicado a gerar valor para os clientes, por exemplo: novas ferramentas e produtos ou melhorias.

Ciclo de mudança

A mudança passa por algumas etapas, Medir, Planejar, Executar, Inspecionar e Adaptar.

ciclo de mudança ágil


Concluímos a medição e temos um raio-X da situação da equipe.

Identificamos quanto tempo em média uma entrega demora para ser concluída (lead time), dessa forma já temos certa previsibilidade. Conseguimos identificar a eficiência do fluxo em porcentagem (touch time) e também o quanto as filas e o gargalo representam (wait time). E também sabemos quanto tempo a equipe dedica para gerar valor (tarefas) ou atuar em retrabalho (bugs), valor vs falhas.

E você, como tem aplicado agilidade na sua equipe? Deixe nos comentários sua opinião! Essa troca é importantíssima para a nossa comunidade.

O que você achou deste conteúdo?
Quer receber nossos conteúdos?
Seu cadastro foi efetuado com sucesso! Enviaremos as novidades no seu email.
Oops! Something went wrong while submitting the form.