Spring Boot: como começar

É um fato que a etapa de criação e configuração de uma aplicação é um processo chato e moroso que muitas vezes exige a manipulação de vários arquivos (xml, properties etc) e dependências. Por isso, conheça nesse artigo um framework que pode ajudar muito nas suas rotinas: o Spring Boot!

Mas, o que é Spring Boot?

O Spring Boot é um framework Java open source que tem como objetivo facilitar esse processo em aplicações Java. Consequentemente, ele traz mais agilidade para o processo de desenvolvimento, uma vez que devs conseguem reduzir o tempo gasto com as configurações iniciais.  

Com o Spring Boot conseguimos abstrair e facilitar a configuração de, por exemplo:

  • Servidores; 
  • Gerenciamento de dependências;
  • Configurações de bibliotecas;
  • Métricas & health checks;
  • Entre outros!

Atualmente o projeto encontra-se na versão 2.5.0 Aproveite e confira o Github do projeto Spring Boot.

Como o Spring Boot funciona?

Para realizar todo esse processo o Spring Boot utiliza um conceito chamado convenção sobre configuração.

Mas o que isso significa? Significa que é uma ferramenta que decide para você a melhor forma de se fazer algo. É o que chamamos de ferramenta opinativa, ela toma as decisões no nosso lugar baseado em convenções, aplicando configurações padrões e facilitando o trabalho.

No entanto ela não é inflexível e ainda permite uma configuração diferente da default caso o usuário assim deseje. 

Por exemplo, você pode alterar para que ele utilize o Jetty como servidor ao invés do Tomcat que é a configuração padrão.

Uma das maiores vantagens que o Spring Boot trouxe ao desenvolvimento é que toda essa configuração não necessita mais ser realizada pelos temidos XMLs, embora ele ainda suporte esse tipo de configuração.  A maior parte da configuração pode ser feita de forma programática via anotações.

O Spring Boot é composto por vários módulos que ajudam nesse processo. Alguns deles são:

Spring Boot

É o módulo principal que ajuda na configuração e integração dos outros módulos. 

Spring Boot Starters

Os starters são dependências que agrupam outras dependências com um propósito em comum. Dessa forma, somente uma configuração é realizada no seu gerenciador de dependências.

Por exemplo, o spring-boot-starter-amqp, é um starter que permite a construção de soluções de mensageria baseadas em AMQP e RabbitMQ.  

Ao realizar a configuração no meu gerenciador de dependência se define somente o starter:

<dependencies>
   <dependency>
       <groupId>org.springframework.boot</groupId>
       <artifactId>spring-boot-starter-amqp</artifactId>
   </dependency>
</dependencies>

E internamente ele encapsula as dependências necessárias para utilização das features. No caso do spring-boot-starter-amqp,  ele encapsula três dependências:



plugins {
 id "org.springframework.boot.starter"
}


description = "Starter for using Spring AMQP and Rabbit MQ"


dependencies {
 api(project(":spring-boot-project:spring-boot-starters:spring-boot-starter"))
 api("org.springframework:spring-messaging")
 api("org.springframework.amqp:spring-rabbit")
}

Alguns exemplos de starters disponíveis:

  • Spring Boot Starter Web: Auxilia na construção de aplicações web trazendo já disponíveis para uso Spring MVC, Rest e o Tomcat como servidor.
  • Spring Boot Starter Test: Contém a maioria das dependências necessárias para realizar testes da sua aplicação: Junit, AssertJ, Hamcrest, Mockito, entre outros
  • Spring Boot Starter Data JPA: Facilita a construção da nossa camada de persistência, ajudando na abstração do nosso banco de dados provendo uma série de facilidades para criação de repositories, escrita de queries, entre outros.

Como podem ver, reduzem o número de dependências adicionadas, deixando meu arquivo muito mais limpo.

Spring Boot Autoconfigure

Como dito anteriormente o Spring Boot trabalha de forma opinativa, tomando decisões para você

Mas baseado em que? Essas decisões padrões são baseadas através do conteúdo do seu classpath

O Autoconfigure é responsável por ler este conteúdo e realizar as configurações necessárias para que a aplicação funcione. É ele quem gerencia todo o processo de configuração da aplicação.

Spring Boot Actuator

O Spring Boot Actuator é uma ferramenta que permite monitorar e gerenciar as aplicações implantadas. Dentre os recursos disponibilizados temos: 

  • Métricas: Obtém e disponibiliza diversos dados da nossa aplicação, como por exemplo, espaço em disco, memória, tempo de resposta etc.
  • Logging: Facilita o acesso ao arquivo de log da aplicação por meio de um endpoint específico. 
  • HeathlChecks: Disponibiliza endpoints de health checks.
  • Informações da Aplicação: Permite a disponibilização de informações da aplicação. Por exemplo, versão, informações do git etc.

Spring Boot Test

O Spring Boot Test contém funcionalidades úteis e anotações que facilitam e ajudam a testar sua aplicação.

Spring Boot Devtools

Spring Boot Devtools é um conjunto de funcionalidades que ajuda o trabalho de qualquer dev. Como, por exemplo, restart automático da aplicação quando ocorre alguma mudança no código.

Spring Tool Suite

O Spring nos fornece uma IDE totalmente customizada para o desenvolvimento de aplicações do ecossistema spring: o Spring Tool Suite (STS)

O STS é uma IDE baseada em Eclipse que já vem com algumas funcionalidades facilitadoras para projetos Spring. 

Print screent da IDE Sprint Tool Suite com a classe GreentingController aberta.

O STS está disponível para Linux, Mac e Windows. Para utilizar basta realizar o download no site oficial.

Além da IDE baseada em Eclipse, o STS já está disponível como plugin para VSCode.

Spring Initializr

Mas eu preciso obrigatoriamente utilizar o STS para desenvolver uma aplicação em Spring Boot? É claro que não! 

E para facilitar a criação de aplicações utilizando outras IDEs a Spring disponibilizou o Spring Initializr. Ele é uma UI que permite a criação de projetos Sprint Boot de forma facilitada. 

Print screen da página inicial do Spring Initializr.

Através dele definimos nome do projeto, pacotes, dependências (starters do spring e outros projetos), linguagem (Java, Groovy ou Kotlin). 

Uma vez definido é só clicar no botão Generate e o projeto será criado, gerando um zip pronto para ser importado na IDE de sua preferência.

Conclusão

O objetivo deste artigo é dar uma ideia inicial de como Spring Boot funciona e pode ajudar descomplicando a construção de aplicações Java.

Como podem ver, essa ferramenta traz uma série de funcionalidades que nos ajuda a agilizar o processo de construção de aplicações nos permitindo focar um maior tempo fazendo o que mais gostamos de fazer: codar!

Caso deseje se aprofundar mais na ferramenta o site do Spring Boot possui uma aréa completa com tutoriais e exemplos

Referências

capa post Spring Boot
Bárbara Rossalli
Backend Developer
Apaixonada por Java. Acredito que programar vai além de escrever linhas de código, é resolver problemas, entregar valor e mudar o mundo.

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website. Learn more