O que é acessibilidade digital e qual é o cenário no Brasil?

Neste artigo você vai ver:

Estamos tão acostumados a elaborar produtos digitais para os usuários, que deixamos de fora ajustes técnicos de acessibilidade digital para as pessoas com deficiência (PCDs). 

Mas por que levar isso em consideração? Segundo o censo do IBGE de 2010, quando a população brasileira era de 139 milhões, tínhamos 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. 

Mas não para por aí: há legislações que asseguram o direito da Pessoa com Deficiência, e um desses direitos é o da acessibilidade.

Quer entender melhor o que é acessibilidade digital, o cenário no Brasil e dicas de como começar a melhorar a acessibilidade em seus projetos? Então continue lendo!

É um público economicamente ativo e grande para ser considerado

Então sim, as pessoas com deficiência (PCDs) são muitas, usam os apps ou sites que você faz e é essencial entender sobre o assunto e se tornar inclusivo para ontem! 

Inclusive, se você usa óculos, já virou estatística também. Pessoas com problemas de visão e idosos com mais de 60 anos (que são aproximadamente 14 milhões) também fazem parte do público que precisa de acessibilidade digital.

E sempre é bom lembrar que a população do Brasil está envelhecendo. A projeção para 2060 é de que um quarto da população terá mais de 65 anos. Ou seja, se você não usa óculos ainda, existe uma grande probabilidade de que virá a usar.

Nesta conta, não estamos considerando doenças invisíveis como esclerose múltipla, lúpus, artrite, depressão, entre tantas outras que podem gerar lesões físicas e mentais que implicam em usuários que necessitam de acessibilidade ainda que de modo temporário. 

Portanto, já deu para entender que é um público grande e economicamente ativo que precisa de acessibilidade digital e que ela deve ser levada em consideração em todos os seus produtos.

Como diz Mary Pat Radabaugh, ex-diretora do Centro Nacional de Apoio para Pessoas com Deficiência da IBM:

“Para a maioria das pessoas, a tecnologia torna a vida mais fácil. Para as pessoas com deficiência, a tecnologia torna a vida possível.” 

O que é acessibilidade digital e por que ela importa?

A acessibilidade digital é uma série de recursos que possibilita a navegação, a compreensão e a interação de qualquer pessoa na web, independentemente de suas dificuldades, sem ajuda de ninguém. 

O Decreto Federal n° 5.296/2004, em seu artigo 8°, I, estabelece: 

“I – acessibilidade: condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida;”

Estamos falando de acessibilidade digital quando existe uma internet que é para todo mundo, sem exclusão.  

Para se ter ideia, segundo uma pesquisa realizada pelo W3C.br/NIC.br, apenas 2% das páginas web governamentais são acessíveis. Um dos objetivos do W3C, World Wide Web Consortium, organização internacional de padrões que desenvolve os pilares de tecnologias, é mudar esse cenário.

Acessibilidade digital é lei?

Sim! Desde 2015 já temos a Lei 13.146, o Estatuto da Pessoa com Deficiência, que estabelece que todos os sites brasileiros devem ser acessíveis. 

Além disso, na cidade de São Paulo, a prefeitura certifica os sites com padrões tecnicamente acessíveis com um Selo de Acessibilidade, segundo as regras da WCAG (Web Content Accessibility Guidelines), que regula internacionalmente a internet dentro da W3C (World Wide Web Consortium).

Devo adequar meu produto à lei de acessibilidade digital?

Vamos te mostrar dois casos que NÃO se adequaram para você tirar sua conclusão.

Nos EUA, em agosto de 2018, um grupo de usuários da Apple com deficiência visual entrou com um processo acusando a empresa de não respeitar as normas da ADA (Americans with Disabilities Act, lei americana) no seu site. 

Outro caso mais recente é o da Domino’s que está enfrentando um processo judicial movido por um usuário com deficiência visual, que afirma que tanto o portal, quanto o aplicativo da rede de pizzas não funcionam com o software comum de leitura de tela.

Importante perceber que não é só tornar o produto acessível, mas se certificar que ele seja funcional dentro do contexto das pessoas que irão usá-lo.

Como saber se seu site ou aplicativo é acessível? 

Não é difícil testar a acessibilidade digital dos seus produtos. Para isso, instale os recursos abaixo para entender se seu site ou aplicativo está acessível: 

Pronto! Agora é anotar os feedbacks e tornar seus produtos ainda mais inclusivos, caso ainda não sejam.

Além disso, se você ainda tiver dúvidas, existem profissionais no mercado que são especialistas em acessibilidade digital, inclusive para te apoiar e orientar na implementação de mudanças.

Acessibilidade na Zup

Estamos começando um movimento para a inclusão, mas sabemos que ainda temos muito a fazer.

Você pode fazer a diferença no seu time de trabalho com ações muito simples: aprendendo, compartilhando e disseminando a acessibilidade digital. Como nós, da Zup, que já estamos nos especializando e oferecendo produtos digitais com padrões legalmente acessíveis, gerando diferencial competitivo e valor de marca inclusiva.

Por isso, temos vários conteúdos que promovem boas práticas de acessibilidade, contando inclusive com uma categoria exclusiva aqui no blog.

Quer um exemplo de conteúdo de alto nível sobre acessibilidade digital? Então assista a live “Mitos e Verdades sobre Testes de Acessibilidade com Marcelo Sales”:

Além disso, temos diversas ações para promover um ambiente seguro e de crescimento exponencial para todas as pessoas. Neste artigo contamos um pouco sobre as ações e conquistas da área de Diversidade e Inclusão na Zup. E você pode conferir mais informações em nossa página no site. 

Para você ter uma ideia, adotamos a prática de verificar e testar a acessibilidade de plataformas de empresas que são nossas fornecedoras. Inclusive, o compromisso com as correções bugs de acessibilidade já mapeadas vem sendo um critério nosso para a contratação.

Entre outras ações que adotamos, destacamos:

  • Guilda de Acessibilidade – Nosso grupo de afinidade para PCDs.
  • Programa Catalisa – Programa de formação em tecnologia exclusivo para PCDs.
  • Semana para Todes – A nossa semana de diversidade. 

Quer conhecer um pouco do Catalisa? Então ouça esse episódio do ZupCast com a 1ª turma formada pelo programa.

Acessibilidade Digital – Todo mundo ganha com soluções inclusivas

Espero que esse artigo ajude a começar a conversa sobre? Acessibilidade Digital. Acredite, este é um assunto amplo e te convido a conhecer outros conteúdos que temos aqui na nossa Central.

Ah, e antes de você pular para próxima página é importante te contar que temos vagas! Nossas oportunidades são consideradas para todas as pessoas. Repudiamos qualquer tipo de discriminação, seja por raça, deficiência, gênero, idade, orientação sexual, estética, estado civil e condição financeira ou familiar. Todas as pessoas e suas pluralidades são bem-vindas à Zup. Conheça todas as nossas vagas aqui.

E aí, tem alguma dúvida sobre Acessibilidade Digital? Como é no seu time? Queremos te ouvir!

Artigo revisado em 14/02/2022. Inclusão de informações atualizadas das ações da Zup sobre Acessibilidade Digital.

Janaina Bernardino
PCD e Lead de Acessibilidade Digital
Compartilhando diversidade e espalhando acessibilidade digital por aí.

Este site utiliza cookies para proporcionar uma experiência de navegação melhor. Consulte nossa Política de Privacidade.